24 Fevereiro, 2021

A Fundação Eurofirms resiste à tendência global de perda de emprego e consolida o seu crescimento integrando pessoas com deficiência.

A Fundação Eurofirms aumenta 3% as inserções laborais de pessoas com deficiência num ano de 2020 que provocou uma drástica perda de emprego neste grupo social.

A entidade ativa novas medidas de formação e de sensibilização para reduzir o risco de exclusão em 2021.

A Fundação Eurofirms encerrou o exercício de 2020 com 684 inserções laborais de pessoas com deficiência em 273 empresas, aumentando assim 3% os seus resultados relativamente ao ano de 2019. A entidade consolida assim o crescimento que tem vindo a evidenciar desde a sua criação em 2008 e fortalece a sua missão integrando laboralmente pessoas com deficiência.

Relativamente aos setores que mais empregam pessoas com deficiência através da Fundação Eurofirms, destacam-se a logística, a produção e o telemarketing. Entre eles, as vagas mais solicitadas foram as de carga e descarga de armazém, preparação de pedidos, operários de embalagem e produção, assim como o atendimento ao cliente e vendas telefónicas.

A Fundação Eurofirms compensa a tendência global

O acesso ao mercador de trabalho por parte das pessoas com deficiência ainda é um desafio que requer a sensibilização e a implicação dos principais agentes públicos e privados. A sua exclusão afeta um grupo social que inclui mais de 1 800 000 pessoas em idade ativa e que a pandemia atingiu mais duramente do que nunca. De acordo com os dados acumulados do terceiro trimestre de 2020, publicados pelo Serviço Público de Emprego Estatal de Espanha, as contratações caíram 32%, interrompendo drasticamente o aumento dos últimos oito anos.

Em 2020, o número de candidatos com deficiência na bolsa de emprego da Fundação Eurofirms verificou um aumento de 43%. Perante estes sintomas de crise de emprego, a entidade reforçou os seus programas e lançou diferentes ações para melhorar a empregabilidade num ano que se prevê com muitas dificuldades para um grupo social com mais risco de exclusão do que nunca. Neste sentido, a Fundação Eurofirms considera crucial a formação, a sensibilização e a acessibilidade para conseguir que mais pessoas com deficiência não só consigam um emprego, mas também um ambiente laboral que lhes garanta uma verdadeira inclusão, permitindo-lhes assim acrescentar valor através das suas capacidades.